segunda-feira, 8 de agosto de 2011

TRINTA DIAS - TRINTA MENUS (3)

O jantar de hoje (Domingo 7) fez-me sair da zona de conforto.
Passo a explicar: por razões muito diversas, não sei fazer fritos e, como não sei, não faço.
Ponto.
Que parecia final.
Hoje fez-se um parágrafo - decidi abalançar-me a experimentar uma tempura de seitan. Aproveitei e prossegui com tofu frito.
O resultado, perguntar-me-ão? O seitan ficou óptimo (passe a imodéstia), o tofu assim assim.

Comecei com uma sopa leve, inspirada na sopa de cebola da Profª Laura Dinis, do Curso do IMP.

SOPA DE CEBOLA



Ingredientes:

1,5lt de água
2 cebolas
3 cubos de abóbora (em vez das ervilhas da receita original)
azeite
miso de cevada e miso doce (1 colher de chá de cada)
cebolinho

Preparação
1. Cortar as cebolas em meias luas, colocar numa panela, temperar com uma pitada de sal e um fio de azeite, deixar estufar até as cebolas ficarem transparentes; acrescentar então a abóbora cortada em quadrados pequeninos.
2. Quando a abóbora começar a ficar macia, tapar os vegetais com água e deixar cozinhar cerca de 15/20 minutos. Reservar.
3. Antes de servir, tirar uma concha de caldo que se mistura ao miso.
4. Servir em taças e polvilhar com cebolinho picado.

TEMPURA DE SEITAN E TOFU

O cereal escolhido foi arroz com cevadinha, previamente demolhados e cozidos cerca de 45 minutos com alga kombu e pitada de sal.

A tempura de seitan é uma receita do livro A Memória dos Sabores, da Profª Eugénia Varatojo (UME - 2002).



Ingredientes
250 gr. de seitan
shoyu
1 dente de alho picado
1 folha de louro
sumo de limão
sumo de gengibre fresco
farinha de trigo
água com gás
óleo de graínha de uva

Preparação
1. Cortar o seitan em tiras e fazer uma marinada com o shoyu, o alho picado, o louro e o sumo de limão durante cerca de duas horas.
2. Escorrer o seitan e passá-lo por um polme feito com a farinha e a água com gás.
3. Aquecer o óleo numa frigideira e, quando estiver bem quente, fritar as tiras de seitan rapidamente, de um lado e outro.
4. Retirar da frigideira e absorver o excesso de gordura com papel absorvente (antigamente conhecido por papel chup'óleo). Temperar com sumo de gengibre fresco.

O processo seguido para o tofu foi o mesmo, o resultado é que nem por isso, mas não estava intragável como as pataniscas que cozinhei no Verão de 1989 e que foram directamente para o caixote do lixo, todas menos a única que comi e me provocou uma crise de vesícula que durou alguns dias e que me afastou dos fritos até hoje...

Para acompanhar, sugiro uma cervejola bem fresca, pois hoje o calor foi muito.

E depois do jantar, programa de teenager: Cinema - Super 8mm - que me fez reviver Encontros Imediatos do 3º Grau, E.T., o disco sound...
Puro divertimento! Valeu bem o preço do bilhete.

2 comentários:

  1. Hoje fiz o seitan, com este mesmo tempero, mas apenas polvilhado ligeiramente com farinha e passado na frigideira com um pouco de azeite (em vez de "frito frito"). Ficou também muito saboroso! :)

    ResponderEliminar