quinta-feira, 26 de julho de 2012

25 DE JULHO E MAIS UM JANTAR DE VERÃO

que reuniu amigos vindos de longe, de diversas nacionalidades - um "case study" de Direito Internacional privado...

Por mero acaso, e num regresso ao passado, lembrámo-nos de que se cumpriam 17 anos sobre o Mickey Mouse Day ou, melhor, night - esta é uma "internal joke"...

Preparei um menu de festivo de Verão que consistiu numa entrada de Pão de azeitonas (que já adquiriu o estatuto de clássico chez ptc), relativamente ao qual tenho as seguintes duas actualizações: (i) adaptei a quantidade de água de 60ml para cada 100gr de farinha para 70ml para cada 100gr de farinha e (ii) dupliquei a dose de fermento. O resultado é um pão menos denso. Foi o melhor de sempre. Simplesmente divino - passe a imodéstia.

Esta entrada foi acompanhada da sangria não alcoólica aqui já descrita no Jantar de 15 de Julho, muito do agrado das teenagers presentes.

Podemos ver o pão com uma heresia que não nomeio e um houmous adaptado, preparado da seguinte forma:
Ingredientes:
Uma taça de grão cozido
Uma colher de café de mostarda
Uma colher de sobremesa de tahini
Umas gotas de sumo de limão
Dois dentes de alho picados
Azeite q.b.
Sal
Vinagre de ameixa no fim, para intensificar o sabor

Preparação:
Misturar todos os ingredientes na picadora até ficar uma pasta unifirme. Reservar no frio até à hora de servir.



A sopa consistiu num gaspacho "ready made" - leia-se, convenientemente comprado já feito e pronto a servir.
A este propósito tenho a declarar que por muito que o tomate seja non grato na dieta macrobiótica, o gaspacho sabe ao sol, ao calor e aos cheiros dos campos do Verão mediterrânico.

A piéce de resistence foi uma polenta grelhada, preparada da seguinte forma:
Ingredientes
Uma taça de carolo de milho demolhado até absorver completamente a água durante 15 minutos
Três taças de água a ferver
Uma cebola picada
Sal
Azeite q.b.
Uma mão cheia de tomate cereja
Manjericão e salsa.
Preparação
Estufar a cebola com um fio de azeite e sal até ficar transparente; juntar a polenta e imediatamente a seguir a água fervente, mexendo continuamente para evitar a formação de grumos. Quando o preparado começar a engrossar e a a formar bolhas está pronto. Juntar o tomate cereja cru, cortado em metades. Verter sobre um tabuleiro rectangular até solidificar (mínimo uma hora) e, preferencialmente, arrefecer.
Forrar um tabuleiro de ir ao forno com papel vegetal untado com azeite. Virar o tabuleiro da polenta no de ir ao forno e cortar o rectângulo em pequenos cubos / rectângulos.
Bater um pouco de azeite com manjericão e salsa, pincelar a polenta com este molho, levar ao forno pré-aquecido a 190ºC durante cerca de 30 minutos.
Na foto abaixo pode igualmente ver-se a salada de pepino com laranja, já aqui descrita no Jantar de 15 de julho.


Servi igualmente um prato de bacalhau preparado da seguinte forma:

Ingredientes
Dois lombos de bacalhau
Quatro tomates escaldados, pelados, sem pevides e cortados em quadrados.
Uma cebola picada
Azeite q.b.
Salsa e coentros picados
Preparação
Cozer o bacalhau em água, azeite e salsa / coentros. Deixar arrefecer e lascar.
Estufar a cebola com um fio de azeite e sal até ficar transparente; juntar o tomate até soltar completamente o seu suco. Borrifar com um copo de vinho branco seco. Bater na liquidificadora. Juntar as ervas picadas. Envolver as lascas de bacalhau. Rectificar os temperos, caso seja necessário.




E eis-nos chegados à hora da sobremesa, que consistiu em duas receitas já conhecidas: a sobremesa de pera e maçã -  cozidas em seu suco, com sultanas, amêndoa laminada e raspa de laranja e limão, num molho engrossado com kuzu 

que casou muito bem com a gelatina de maçã, singela e rápida de preparar (apenas 13 minutos!), na qual não foram acrescentadas nem sultanas nem sumo de limão e em que o doce utilizado foi a geleia de arroz, tendo ainda cometido a bigamia de casar lindamente com o Porto vintage de 1999 que sobrou do meu encontro com Amadeus






Sem comentários:

Enviar um comentário