sábado, 22 de outubro de 2011

E AGORA ALGO COMPLETAMENTE DIFERENTE (1)

NOTÍCIAS BOAS QUE ME DEIXAM (MUITO) FELIZ



Foi inaugurada no dia 21 de Outubro no Museu Gulbenkian a exposição "A Perspectiva das Coisas. A Natureza-Morta na Europa - Segunda parte: Séculos XIX-XX (1840 - 1955)", a qual estará patente ao público até 8 de Janeiro de 2012, na Galeria de Exposições da Sede.
Tem visitas guiadas durante a semana, às 3ªs e 5ªs, às 15h00, estando aberta ao pública até às 20h00 às 5ºs e Sábados.
Aproveitemos, pois, esta exposição que contém obras de Picasso, Van Gogh, Monet, Matisse, de entre muitos outros, num dos melhores espaços museológicos de Portugal.


MAN BOOKER PRIZE 2011 - JULIAN BARNES




Julian Barnes, um dos autores contemporâneos meu favoritos, ganhou o Booker Prize de 2011 com o livro "The sense of an ending".
Barnes pode ser um autor difícil (aliás, é-o quase sempre) e ultimamente está obsecado com a morte (fruto da morte de Pat - "she, whom he cooked for" -, da morte da mãe, do avançar dos anos), mas escreve magistralmente.
Ainda não o li (tenho ainda 4 ou 5 livros dele no "pipeline") por isso não o posso recomendar.
Para não iniciados recomendo "Talking it over" (Amor & Cia) e "Inglaterra, Inglaterra" (este último também candidato ao Booker, a par de "O Papagaio de DFlaubert" e de "Arthur & George").
Como ganhou o Booker, pode ser que re-editem em Portugal as obras já esgotadas e editem outras nunca editadas.



PRÉMIO PRINCÍPE DAS ASTÚRIAS PARA A CONCÓRDIA ATRIBUÍDO AOS HERÓIS DE FUKUSHIMA

Os terramotos não se controlam, as centrais nucleares sim.
Fukushima nunca devia ter acontecido mas aconteceu.
E aconteceu porque alguém não fez o que devia e fez o que não devia (desde logo, mentindo sobre a segurança da central).

Os heróis de Fukushima são pessoas que fizeram o possível para evitar uma tragédia nuclear (não nos esqueçamos que Hiroshima e Nagasaki aconteceram no Japão) depois do sismo e do tsunami que atingiram o Japão em 11 de Março de 2011, ficando sujeitos a um nível de radiações intenso e arriscando as suas vidas.

Numa sociedade cada vez mais hedonista e individualista, estes comportamentos primam pela excepção mas, também por isso, nos obrigam a repensar os nossos valores e prioridades.
Após o comportamento exemplar do povo japonês ante a tragédia de 11 de Março, estas pessoas dão-nos mais um exemplo de abnegação, espírito de sacríficio, altruísmo e, porque não dizê-lo, elevado sentido de dever para com a comunidade, abdicando de tudo para minorar os danos e (tentar) salvar milhares ou milhões de outras pessoas.

O prémio Princípe das Astúrias para a concórdia foi muito bem atribuído!

Sem comentários:

Enviar um comentário