domingo, 6 de outubro de 2013

A LESTE DA LUA E A OESTE DO SOL - O OUTONO (8)

SOPA DE PEIXE (DITA À MODA DE PENICHE)


 
 
A receita de hoje vem inspirada numa do livro, aqui já referido, Cozinha de Lisboa e seu Termo, em que aparece publicada sob a epígrafe de “Sopa de Congro” – pág. 79, e referenciada como sendo típica da região de Peniche.
O congro é um peixe muito comum na Praça de Peniche. Estando longe – e não fazendo muita questão no dito peixe – preparei uma sopa inspirada nessa receita, tendo variado os ingredientes (pescada em vez de congro, couve flor em vez de batata, massa integral de espelta em vez de fatias de pão, só a título de exemplo), suprimi uns (camarões) e acrescentei outros (feijão verde).
O resultado foi uma sopa muito rica que, só por si, fez as despesas de toda a refeição.
Passemos, pois, à sua descrição.
Leva como ingredientes:
 - meia couve flor
 - uma porção de caldo de peixe (congelado)
 - 1 cebola picada
 - 2 cenouras cortadas em fatias finas, na diagonal
 - 2 tomates, escorridos, sem pevides e cortados em fatias finas
 - 1 chávena de massa de espelta integral (de capote)
 - 2 postas de pescada
 - 1 ramo de hortelã
 - sal, 1 dente de alho, e 3 folhas de louro
 - salsa e coentros picados para polvilhar, vinagre de ameixa, uns grãos de mostarda e pimenta moída na ocasião
Prepara-se da seguinte forma:
Coze-se a couve flor com água suficiente para a tapar, a que se juntam o caldo de peixe e uma folha de louro; um vez cozida, tritura-se com a varinha mágica, havendo-se retirado previamente o louro.
Num tacho à parte, estufa-se a cebola num fio de azeite com uma pitada de sal, o tomate e as cenouras e duas folhas de louro; uma vez que os vegetais estejam macios, cobre-se com o puré de couve flor, junta-se o ramo de hortelã, deixa-se apurar, adicionando a massa para cozer acrescentando-se, se necessário, um pouco de água (a ferver). À parte, coze-se a pescada e o feijão verde no vapor.
Retira-se um pouco de molho do estufado a que se adicionam duas colheres de sopa de vinagre de ameixa (o qual, em simultâneo “abre” os sabores e “corta” a gordura do caldo de peixe, que havia sido preparado com cabeça de garoupa), um pouco de mostarda em grão e pimenta moída na ocasião e temperar o estufado, mexendo bem.
Servir em pratos fundos, colocando caldo com massa, pedaços de pescada sem espinhas nem peles, feijão verde cozido e polvilhando com salsa e coentros picados.
 
 

Sem comentários:

Enviar um comentário