sexta-feira, 13 de março de 2015

A LESTE DO SOL E A OESTE DA LUA - A PRIMAVERA (7)

TARTE DE TOFU COM VEGETAIS




Esta receita é baseada numa contida no livro - aqui já bastas vezes referido - “NATUREZA, GASTRONOMIA E LAZER – Plantas silvestres alimentares e ervas aromáticas condimentares, Maria Manuel Valagão, Edições Colibri, 2009”, em que os vegetais de folha verde são utilizados para confeccionar uma tarde com ovos, como se de uma quiche se tratasse.
Aproveitando a oferta primaveril de vegetais de folha verde, adaptei a receita original substituindo os ovos por tofu sedoso e um pouco de bebida de soja.


MASSA
Uma embalagem de massa quebrada, com a qual se forra uma forma de tarte com fundo amovível e que, coberta com um papel vegetal e feijões, se coze no forno durante cerca de quinze minutos.
RECHEIO
Ingredientes
1 embalagem de tofu sedoso
Bebida de soja q.b.
1 chávena de café de azeite
Pitada de sal, pimenta
2 colheres de chá de agar-agar e uma colher de sopa de amido de milho, previamente dissolvidas num pouco da bebida de soja
Vegetais de folha verde a gosto – acelgas, grelos de couve, couve portuguesa – lavados, arranjados e cortados no sentido longitudinal com aproximadamente 6/8 cm de comprimento
Alho laminado, fio de azeite, pitada de sal e golpe de vinagre de arroz
Salsa picada

Preparação
Levar os vegetais ao lume num tacho com fundo largo com o azeite, alho e sal, saltear ligeiramente, tapar e deixar estufar em lume médio, tendo o cuidado de verificar se não seca demasiado e pega no tacho, durante 10 minutos; borrifar com o vinagre de arroz.
À parte, misturar todos os ingredientes num copo alto e bater com a varinha mágica até a mistura adquirir espessura parecida com a de maionese.
Verificar e, se necessário, rectificar os temperos.
Verter o batido no tacho dos vegetais, mexer para envolver uniformemente, adicionar a salsa picada e colocar o recheio na forma forrada com a massa quebrada pré-cozida.
Levar ao forno pré-aquecido 10 minutos a 200ºC e cozer durante cerca de 30 minutos ou até a massa estar consistente (o que se comprova com um palito no centro do preparado.




Pode servir-se quente ou frio, com uma salada variada ou, em tempo mais frio. como foi o caso, com uma polenta no forno, companhada de pleurotos grelhados, para acrescentar teor energético à refeição.


Para festas ou como entrada, pode fazer-se em pequenas formas individuais.


Sem comentários:

Enviar um comentário