sábado, 23 de maio de 2015

A LESTE DA LUA E A OESTE DO SOL - A PRIMAVERA





SEM PERDER O APRUMO...(*)
Foi como tentei sobreviver culinariamente na semana que passei em Londres e que pôs à prova a minha capacidade de adaptação e resistência a diversos desafios. O assunto ficou resolvido com a decisão de alugar um apartamento com cozinha completa, o que contribuiu para não perder o contacto com cereais integrais, leguminosas e vegetais – os preços destes produtos são mais caros em Londres do que em Portugal, mas ainda assim perfeitamente aceitáveis nos mercados e supermercados. Estarrecedor é que qualquer junk food seja mais barata do que uma simples peça de fruta, o que pode justificar a quantidade de gente obesa que por lá se vê: o tamanho médio de roupa é o 44, e a Inglaterra é o país europeu com maior índice de obesidade e o 10.º no ranking mundial…

Mas se estava em Inglaterra havia experiências que tinha que ter – incursões em pubs para experimentar a alargadíssima panóplia de ales e lagers, bem diferente da paupérrima escolha que temos por cá, em resultado do conhecido duopólio cervejeiro nacional.

A melhor experiência que tive foi a visita que fiz ao Mercado mais próximo de casa, o Borough Market, um velho mercado do tipo do do Bolhão, modernizado, atractivo, cheio de produtos regionais – regionais ingleses, regionais europeus, regionais asiáticos… - e com muita qualidade.





Apetecia comprar tudo mas só comprei uns carapaus e haddocks fumados, um pão caseiro com meio quilo e que “marchou” em dois dias, e uma incontornável pie.


Do haddock não gostei mas adorei os carapaus – tenros, suculentos, muito saborosos. Casaram bem com a grande salada mista e ainda melhor com a Stella Artois…


A pie não provei, fica só a fotografia para a posteridade.




Quanto à boa comidinha caseira cozinhada pela minha pessoa, ficam uns apontamentos

sopa de cevadinha com vegetais



esparguete integral salteado com grão cozido (combinação improvável mas que resultou bem)

salada de grão cozido com vegetais estufados



Todos estes pratos são bastante energéticos mas revelaram-se muito apropriados para a Primavera britânica, quite chilly para Primavera mas não propriamente gélida para se considerar Inverno.

(*) título roubado a um conto de Lawrence Durrell

Sem comentários:

Enviar um comentário