quarta-feira, 9 de outubro de 2013

A LESTE DA LUA E A OESTE DO SOL - O OUTONO (11)

E SE DE REPENTE LHE CORTASSEM O GÁS?...

No nosso dia a dia damos tantas coisas como certas e garantidas que só quando não as temos é que percebemos a falta que nos fazem. É um cliché, mas alguém imaginou o que seria viver sem água canalizada ou, tão somente, água quente?

Há uns anos atrás, por força de obras no prédio e andar em que então vivia, estive uns dias sem fogão nem banheira, durante os quais os meus jantares - invariavelmente às 11h da noite - se resumiram a chá e torradas ou flocos instantâneos de qualquer coisa ou copos de leite. Os banhos, em dias em que não havia ginásio, eram à indiana.
 
Quando voltei a ter fogão e casa de banho completa, com águas correntes, quentes e frias, apercebi-me de como a minha vida ficou melhor e mais facilitada. Em termos comparativos com 4/5 do mundo, tenho o luxo de ter água canalizada, quente e fria, gás canalizado, e outras mordomias semelhantes.
 
Quer dizer, tinha, até ontem, quando alguém fez o que não devia e o gás foi cortado, situação que se irá prolongar algumas semanas.
 
Tive que mudar o "chip" - recorrer a uma placa eléctrica e cozinhar um só prato (difícil mas ao mesmo tempo, tão mais simples!).
 
Aquecer água na chaleira eléctrica para lavar a loiça.
 
Tomar banho de água fria - e sair da banheira ofegante mas cheia de energia e tão mais tonificada!
 
O jantar desta noite resultou desta mudança de "chip" - deixei preparado ontem o tofu em marinada de azeite, molho de soja, louro, alho e sal. Hoje, estufei ligeiramente um pouco de alho francês, cenoura cortada em lascas finas, meia batata doce em cubos, juntei as fatias de tofu, polvilhei com salsa e deixei estufar. A parte difícil foi encontrar o ponto certo do termostato - ou estava demasiado frio ou demasiado quente.
 
 
 
Quando o tofu e vegetais atingiram a consistência desejada, desliguei e passei à segunda parte da confecção o jantar: millet cozido com cogumelos e alho francês em tiras previamente estufados (uma medida de tofu para duas medidas de água). Mais uma dificuldade para acertar com o termostato até que o millet cozeu e absorveu toda a água.
 
 
 
Servi com uma salada.
 
 
 
Enquanto jantava pensava que uma experiência destas nos faz dar mais valor ao que temos e que damos por garantido. E, ao simplificar, nos ajuda a recentrar prioridades.
Não sei  é se vou conseguir ter imaginação para cozinhar receitas assim simples nas próximas quatro semanas...
 
 

1 comentário:

  1. Sem dúvida que só assim, por vezes, temos imaginação para lgo que nunca de outra forma nos passaria pela cabeça.
    Bom fim de semana
    Kiss, Susana
    Nota: Ver o passatempo a decorrer no meu blog:
    http://tertuliadasusy.blogspot.pt/2013/10/dia-um-na-cozinha-e-escolha-do.html

    ResponderEliminar